15.2 C
Nova Iorque

Reservas que fizeram a diferença na Copa do Mundo

Reservas na Copa do Mundo: a competição mais importante do mundo do futebol está chegando. Marcada para começar no dia 20 de novembro, com Qatar e Equador, às 13h, a Copa do Mundo de 2022 tem tudo para marcar a história da competição.

Vários craques de altíssimo nível como: Cristiano Ronaldo, Lionel Messi, Neymar Jr., Luis Suárez, Dušan Vlahović, Kylian Mbappé, Benzema, Kevin De Bruyne, Lukaku, Virgil Van Dijk, Modric, Harry Kane, Thomas Müller, Toni Kroos, Robert Lewandowski, Gareth Bale, Heung-min Son, Davies, Pulisic, Ochoa, Keylor Navas, Sadio Mané e muitos outros são esperados na Copa.

Bom, nomes famosos não faltam nas principais seleções dos continentes do planeta, certo?

Mas e os jogadores não tão famosos assim, os suplentes que assistem aos jogos no banco de reservas? Eles também podem impactar positivamente ou negativamente a edição de 2022, assim como aconteceu em outras Copas.

Para esquentar a Copa, que tal relembrar os jogadores que saíram do banco de reservas e mudaram o panorama da partida?

Mudanças na seleção brasileira que causaram impacto

Começando pelos jogadores do Brasil que saíram do banco e mudaram o panorama da partida, em 1986, Zico entrou nas quartas de final da Copa e teve um impacto negativo no time.

Aos 26 minutos do segundo tempo, a seleção empatava com a França por 1 a 1 e foi quando o craque Zico entrou no lugar de Müller.

Minutos depois, aos 30, o juiz assinalou pênalti para o Brasil. Zico, que tinha entrado há quatro minutos, se posicionou e bateu. O goleiro Joël Bats acabou defendendo a cobrança não tão boa do Galinho de Quintino.

O jogo terminou empatado por 1 a 1 e acabou sendo decidido nos pênaltis, onde a França saiu com a vitória.

Ronaldão

Ainda sobre a seleção brasileira, em 2002 foi o ano dos reservas fazerem a diferença. No primeiro jogo da Copa do Mundo de 2002, contra a Turquia, a seleção brasileira saiu atrás após sofrer um gol nos acréscimos do primeiro tempo.

No segundo tempo, Ronaldo, na época chamado de Ronaldinho, aos cinco minutos da segunda etapa aproveitou o cruzamento de Rivaldo e empatou o jogo.

Mais tarde, Ronaldo saiu para a entrada de Luizão, aos 28 minutos. Quando o jogo parecia que terminaria empatado, Luizão sofreu pênalti aos 42 minutos. Rivaldo não desperdiçou e garantiu a vitória do Brasil.

Rivaldo

Também em 2002, nas oitavas de final, quando o Brasil encarou a Bélgica, outro jogador que saiu do banco brilhou.

A seleção brasileira, que tinha dificuldades para abrir o placar contra a, só conseguiu balançar as redes aos 22 minutos do segundo tempo com Rivaldo.

Mesmo com a vantagem, o Brasil não tinha a classificação garantida. Aos 36 minutos, Kléberson entrou no lugar de Ronaldinho Gaúcho e logo aos 45 minutos deu assistência para Ronaldo fazer o segundo gol e garantir a seleção nas quartas de final.

Outras seleções que foram impactadas pelas alterações

Agora falando sobre as demais seleções, voltando no tempo, em 1982, uma substituição fez história na final da Copa do Mundo. Na decisão entre Itália e Alemanha, os italianos abriram dois a zero no placar e garantiram uma boa vantagem na partida.

Mesmo faltando dez minutos para o fim do jogo, um resultado nunca está definido. Foi quando Alessandro Altobelli, que entrou logo aos sete minutos do primeiro tempo, anotou o terceiro gol da Itália aos 36 minutos e garantiu a taça da Copa.

Dois minutos mais tarde, aos 38, a Alemanha diminuiu com Paul Breitner. A partida terminou com vitória da Itália por 3 a 1.

Pedro Monzón 

Avançando oito anos, na final da Copa de 1990 outra substituição marcou a decisão, mas de forma negativa.

Na partida, o jogador Oscar Ruggeri sofreu uma lesão e precisou ser substituído. Pedro Monzón entrou no lugar do lesionado. Aos 20 minutos do segundo tempo, Pedro Monzón cometeu uma falta dura e acabou sendo expulso.

Com um jogador a menos, a seleção argentina teve dificuldades para bater de frente com o futebol dos alemães e, no fim do jogo, aos 40 minutos, Andreas Brehme converteu o pênalti sofrido por Rudi Völler e garantiu o título para a Alemanha.

Em 2006, também aconteceram substituições que mudaram o rumo das partidas.

Na semifinal entre Itália e Alemanha, a partida foi marcada por um duelo muito equilibrado, que só teve definição na prorrogação.

Alessandro Del Piero

Após os 90 minutos sem gols, as equipes foram para o tempo adicional. Aos 14 minutos do primeiro tempo da prorrogação, Alessandro Del Piero entrou no lugar de Simone Perrotta.

E foi só aos 14 minutos do segundo tempo da prorrogação que a Itália abriu o placar com Fabio Grosso. Mesmo com pouco tempo no relógio e um gol de vantagem, os alemães, que eram os donos da casa, pressionavam a Itália.

Em um contra-ataque, Alberto Gilardino só rolou a bola para Alessandro Del Piero, que tinha entrado na prorrogação, anotar o gol que colocou a seleção italiana na final da competição.

Logo em seguida, na final entre Itália e França, levaram a decisão para os pênaltis. Na ocasião, todos os jogadores converteram as cobranças, com exceção de David Trézéguet, que entrou aos 10 minutos do primeiro tempo da prorrogação no lugar de Franck Ribéry.

Copa do Mundo de 2014 foi crucial para os jogadores que saíram do banco

Na Copa de 2014, disputada no Brasil, ocorreram dois grandes exemplos de substituições que causaram impacto na partida.

Nas quartas de final, a Costa Rica, surpresa da Copa, apresentava um bom futebol com um time muito organizado. Com essas características, a seleção segurou a Holanda, vice-campeã do mundo em 2010.

Tim Krul

A partida terminou empatada por 0 a 0 e uma substituição marcou não só a história das Copas, como também a história do futebol. Assim como os torcedores, Jasper Cillessen, goleiro holandês, ficou sem entender a decisão de Louis van Gaal, que o substituiu para colocar Tim Krul. O goleiro, que entrou ao fim da prorrogação, foi responsável por defender duas penalidades e garantir a vitória da Holanda por 4 a 3 nos pênaltis.

Mario Götze

Mas não foi só essa substituição que surpreendeu a todos na Copa do Mundo de 2014. Na final, disputada entre Argentina e Alemanha, que terminou com vitória dos alemães por 1 a 0, o autor do gol, anotado aos oito minutos do segundo tempo da prorrogação, foi Mario Götze (foto), que entrou em campo aos 43 minutos do segundo tempo.

Será que nessa edição de 2022 alguma substituição impactará algum jogo? Disso não podemos ter certeza, a única certeza é que aqui na KTO você pode aproveitar as melhores odds do mercado.

Texto por Lucas Perillo. Tudo sobre esporte me atrai, talvez seja por isso que minha aula favorita na escola era educação física. Atleta frustrado, me dediquei ao jornalismo, pois já que não podia ser um profissional praticando esporte, decidi ser um profissional cobrindo esporte.

 
A gente quer te lembrar de uma coisa importante: a KTO é um lugar para quem tem mais de 18 anos se entreter e aproveitar momentos de descontração e alegria. Se você ainda é menor, ou se o jogo não está tão divertido assim no momento, deixe para voltar mais tarde.

ÚLTIMOS ARTIGOS